Publicado em 6 comentários

La Lunna – O impacto da crise econômica sobre as mulheres trabalhadoras

O ano de 2008 foi o palco de uma grande crise econômica mundial, podemos dizer que foi a maior desde a depressão de 1929. Nascida no coração do imperialismo (EUA), alcançou proporções inimagináveis, não sendo somente norte-americana, mas causando uma grande recessão no Japão e nos países da Europa.

No Brasil, o governo Lula deu mais de 300 bilhões de reais para salvar as grandes empresas, em especial os banqueiros. Esse dinheiro saiu da redução de salários do funcionalismo público e do corte de serviços básicos como saúde e educação.

Ruas de Seattle, WA, EUA

A queda do PIB no último trimestre de 2008 foi calculada entre 1% e 2%. As montadoras de automóveis tiveram uma queda de 47,1% em dezembro desse mesmo ano. A indústria como um todo caiu em torno de 7%. Ainda que tenham ocorrido estabilizações momentâneas, a previsão era de que todo o ano de 2009 também seria marcado pela crise. Mas a grande questão é: Quem pagou por essa crise?

A crise econômica atingiu ainda mais os setores oprimidos, como: mulheres, negros e homossexuais. Entre os trabalhadores informais, as mulheres representaram 60% em 2007 – porcentagem que aumentou nos dois anos seguintes. Eram (são) mulheres que não têm carteira assinada e direitos trabalhistas preservados. O capitalismo trata esses setores como mão de obra barata. Para os capitalistas lucrarem mais, é imprescindível que se mantenha e se aprofunde a opressão e a discriminação. Como consequência da condição de subordinação, a força de trabalho das mulheres é tida de forma ainda mais precarizada, parecendo ser natural a maneira como são exploradas. As mulheres têm os salários mais baixos que os homens, com uma diferença salarial de até 43%, a dupla jornada de trabalho, o assédio moral, o aumento de doenças psicológicas, sendo ainda que as mulheres são 70% da população abaixo da linha da pobreza e 2/3 dos analfabetos.

Com o surgimento dessa crise econômica, o capitalismo pretendeu (pretende) afirmar ainda mais essas diferenças. Como única resposta possível, seria necessário que mulheres e homens da classe trabalhadora se organizassem para lutar contra governos e patrões. Sabemos que todas as grandes conquistas das mulheres foram arrancadas com lutas e organização, mas que, por outro lado, nunca foram suficientes ou permanentes, pois o capitalismo, superexplorando alguns setores dentro da classe trabalhadora, divide-a ainda mais, permitindo que o trabalho doméstico não seja um trabalho remunerado, sobrecarregando ainda mais as mulheres.

A revolução socialista russa foi a única revolução que de fato tomou medidas para buscar a igualdade de homens e mulheres. Criou todo um sistema de serviços sociais que libertou a mulher dos encargos domésticos: maternidades, creches, jardins de infância, escolas, restaurantes públicos, lavanderias, pronto-socorros, cinemas, teatros, etc. A história nos mostra, mais uma vez, que é possível lutar contra a opressão e a exploração e pela construção de uma sociedade socialista e realmente igualitária.

__________________________________________

Publicado em 6 comentários

Uivos Filosófico 3 – Deus está morto. E isso já faz muito tempo!

Uivos Filosóficos

———–

Um louco aproxima-se da multidão segurando uma lanterna ao sol do meio-dia e grita:

Procuro Deus.

Muitos deram risada da cara do louco. O louco encarou a multidão e disse:

 Deus está morto, nós o matamos! Você e eu!

Todos acham que foi Nietzsche que disse essa frase, mas também não foi Shakespeare que teria dito: “há mais coisas no céu e na terra do que sonha nossa vã filosofia”, e sim, Hamlet para Horácio.

Nietzsche escreveu: “uma coisa sou eu, outra meus escritos…” (“Por que escrevo livros tão bons?” em Ecce Homo). O louco que é citado está no aforismo 125 do livro “A Gaia Ciência” e é quem anuncia a morte de Deus e não Nietzsche.

A morte de Deus não pode ser interpretada como a de um ser concreto “à nossa imagem e semelhança”, porquanto é o Deus transcendental, a humanidade descrê de valores absolutos. Então o homem sentirá certa insegurança pelo qual o cheiro pútrido do SER-metafísico se exalar no ar, contudo Nietzsche apresenta o Super-homem (não o herói em quadrinhos), pois o homem deve ser superado.

O homem não deve genuflexar com as palmas das mãos juntas olhando para o céu, o homem tem que seguir o seu caminho, fazer as suas escolhas sem arrependimentos, sendo boas ou más. Portanto é a vontade de potência de cada um que pode elevar-se à felicidade, para além do bem e do mal.

Matar Deus tem o sentido de anular o dogma religioso burocrático desde o início do cristianismo, tendo como base o platonismo, é a auto-afirmação da vida.

O cristianismo hoje não é nada mais do que ganhar fiéis em cima do sofrimento alheio! Em um grande sistema capitalista religioso que fatura monstruosamente na ingenuidade do próximo.

O Mundo das Ideias de Platão é o paraíso cristão das realidades concretas, ou seja, são sombras das ideias do mundo inteligível. Surgindo daí a criação do Céu e do Inferno.

“Então o homem sentirá certa insegurança pelo qual o cheiro pútrido do SER-metafísico”

 

A ideia da morte de Deus não deve ser interpretada como lema ateísta, porque se pode acreditar na existência de Deus, porém pode-se matá-lo em seu coração para viver uma vida sem culpa ou arrependimentos. Alguns veem Deus como maldoso, outros, bondoso. Cada um de nós tem interpretações únicas sobre Deus.

A humanidade nunca experimentou Deus, pois enquanto estes homens gananciosos comandarem os sistemas religiosos, mais rebanhos de escravizados sustentaram os suntuosos templos.

Já faz muito tempo que matamos Deus, talvez o louco no começo deste artigo tenha razão, pois o homem nunca compreendeu (ou nunca achou) Deus, a não ser por algum tipo de vantagem própria.

Para conhecer mais, leia de Nietzsche:

A Gaia Ciência

Para Além do Bem e do Mal

O Anticristo

Ecce Homo

Assim Falou Zaratustra

Publicado em 23 comentários

La Lunna – Mulheres: A ilusão dos direitos democráticos

O feminismo aparece, nos fins do século XVIII, como doutrina de defesa dos direitos democráticos das mulheres, no interior da Revolução burguesa de 1789. No período histórico da Revolução Francesa, o feminismo passou a atuar como movimento político, reivindicando a melhoria das condições de vida e trabalho das mulheres, a sua participação política, o fim da prostituição, o acesso à educação e a igualdade de direitos entre os sexos.

La Lunna

Após a Revolução Francesa, surgiram, no interior do movimento feminista, diversas outras doutrinas da libertação da mulher, que nem sempre tiveram preocupações convergentes. Mas ainda que existam diferenças claras entre as diversas abordagens feministas, parece-nos que existe entre elas certa identidade teórica. Em geral, os estudiosos da questão feminina buscam apoio para desenvolver as suas formulações doutrinárias em conceitos que não se entrelaçam com o movimento político concreto das mulheres, mas, antes, sobretudo, procuram apoiar-se em dados da antropologia, da economia, da sociologia, da psicologia e de outras ciências humanas.

As diversas doutrinas sobre o feminino não se relacionam à própria prática política das mulheres. Podemos dizer que nesses movimentos existem grandes contradições, pois sendo o feminismo um movimento de mulheres, as teorias sobre o feminino costumam falar de uma espécie de Mulher Universal, ou seja, de uma mulher presente em qualquer época histórica. Constrói-se assim a crença de que existe a Mulher enquanto conceito Universal.

Votes for women

Com o avanço da tecnologia, muitas transformações ocorreram na vida humana, que tiveram grande impacto na vida dos trabalhadores. Este novo processo se deu basicamente na fábrica, permitindo o aperfeiçoamento da divisão do trabalho. Com a introdução da maquinaria no século XIX, a base técnica do processo de produção não se encontrava mais no saber do trabalhador, mas sim na maquinaria e em seu manejo mecânico.

A grande indústria capitalista, como dizia Marx, passou então a exigir menos força física no processo de trabalho e, consequentemente, a mão de obra feminina encontrou seu lugar no processo de produção capitalista. Então, para Marx, a mulher é lançada no mercado de trabalho do mesmo modo que o homem da classe operária e, como ele, tem a sua força de trabalho apropriada indevidamente pelo capital.

Concluindo, a conquista de direitos e a verdadeira emancipação da mulher não podem ocorrer dentro do sistema capitalista. A luta das mulheres é de toda a classe trabalhadora contra a burguesia. Como vimos, a história tem demonstrado que as relações entre homens e mulheres são construídas com base em determinadas realidades sociais, e também que o avanço do capitalismo fez com que essas relações se tornassem cada vez mais complexas, permanecendo, contudo, a desigualdade e a opressão.

Em seu surgimento, o movimento feminista pensava em questões ligadas à prática política, hoje tornou-se apenas mais uma produção da pesquisa acadêmica. Exemplo disso é a mais recente Lei Maria da Penha, que cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar, mas, ao mesmo tempo, os projetos de lei orçamentária reduzem os recursos para o combate à violência.

————————

La Lunna é onde trataremos de questões históricas e de direitos referentes a políticas para mulheres.

––––––––––––––––––––––––

Publicado em 2 comentários

Uivos Filosóficos 2 – O Bem Maior: Jorge Luis Borges comparado ao Beowulf

Uivos Filosóficos

O Bem Maior que hoje conhecemos é seguir exemplos bíblicos. O início da humanidade está escrito em Genesis, portanto Adão é o primeiro homem; nas costelas a mulher nasce para ser obliterada moralmente pela civilização judaico-cristã até o século XX. Moisés sai do Egito partindo ao encontro da Terra Prometida. No alto da montanha fica cara a cara com o Senhor que lhe dita os Dez Mandamentos, entretanto Moisés é proibido de prosseguir à Terra Prometida: morre no alto da montanha. Deus promete a Abraão que não irá destruir Sodoma e Gomorra se, ao menos, tiver dez homens justos.

Jorge Luis Borges, escritor, nasceu em Buenos Aires no dia 24 de agosto de 1899, e morreu no dia 14 de junho em Genebra em 1986. Já falava inglês antes do espanhol; desde pequeno tinha o sonho de ser escritor e, aos oitos anos, escreveu o primeiro conto: La visera de natal. Aos nove anos, traduziu O príncipe Feliz, de Oscar Wilde. Queria ser escritor, porém não queria ser conhecido.

Beowulf é o primeiro épico da Literatura Inglesa escrito entre 700–1000 d. C. com 3.182 linhas, portanto o mais longo poema da Literatura Anglo-Saxã. Foi escrito por monges escandinavos quando a Inglaterra estava em formação. O épico narra o confronto do herói com o terrível monstro Grendel, um ogro que aterroriza a corte do Rei Hrothgar. O monstro devora os súditos no castelo todas as noites quando há festejos. Beowulf é o herói que derrota Grendel com seus próprios punhos. Posteriormente derrota a mãe de Grendel e se torna Rei dos Danes. O herói (natural da Suécia) queria espalhar a sua fama de guerreiro.

Borges x Beowulf

A busca do Bem Maior da humanidade está além do que ir a uma casa religiosa para simplesmente descobrirmos os segredos da vida (não que seja ruim ir à uma igreja), ao menos que sirva como algo mais racional.

Jorge Luis Borges realiza seu sonho de ser escritor: em 1923 publica Fervor de Buenos Aires; porquanto é com Ficciones e com O Aleph que fica conhecido no mundo inteiro. Seus contos são histórias fantásticas com teor filosófico, ditava os sentimentos humanos, sejam poesias ou contos. Borges adorava enciclopédias, a sua preferida era a IX Encyclopaedia Britannica. Foi professor de Literatura Inglesa na Universidade de Buenos Aires, onde pode expressar mais os sentimentos sobre essa Literatura. Ficou cego em 1955, porém nunca parou de escrever. Sempre foi ao encontro da sabedoria, seus livros passaram a ser ditados para a sua mãe, com a morte desta em 1975, foi ajudado por amigos e por Maria Kodama sua mulher e secretária particular.

Um homem quando encontra o inevitável tem que saber reiniciar a sua vida, Borges nunca foi derrotado pela cegueira, pois lecionava, dava conferências e viajava o mundo. Um homem nunca deve ser perfeito, deve cometer muitos erros; porque a perfeição não sabemos ainda defini-la, a vida é feita de momentos, por conseguinte, não é bom perde-los.

No poema Instantes, Borges diria: Viva a vida! O mundo precisa de protagonistas e antagonistas, guerra e paz, tristeza e felicidade. Sempre haverá lados opostos, mas para o Bem Maior. Há vários exemplos a serem seguidos em busca do Bem Maior na vida de cada um. Basta uma biblioteca para alguns, sinfonia para outros; uma conversa com amigos e inimigos é o suficiente para entrar numa complexa biblioteca. Borges já imaginou que o universo seria uma vasta biblioteca, e é assim a nossa vida. Escrevemos páginas por páginas todos os dias, tão somente aceitar a lei dos opostos. Isso pode justificar o príncipe Hamlet, basta fazermos as escolhas certas.

A comparação de Borges com Beowulf é que os dois eram heróis distintos: Borges era um homem gentil, não queria fama, pois queria ser um escritor obscuro. Beowulf era um homem bondoso, logo queria fama; a sua coragem de enfrentar um terrível ogro, livra o reino de Danes do terrível dragão que aterroriza as pessoas. A coragem de Beowulf propaga-se no caminho humano de enfrentar os nossos dragões com um funeral mitológico. A coragem de Borges é o fato de que o homem pode se superar quando o temível dragão da vida aparecer e revelar as fraquezas que temos dentro de nós, então é só encará-lo de frente com punhos e inteligência. Isso é o Bem Maior.

Fontes:

Ficções – Jorge Luis Borges

www.artelivre.net

A Lenda de Beowulf. Filme (2007) Diretor: Robert Zemeckis. Roteiro: Neil Gaiman e Roger Avary. Distribuidora: Warner Bros. Duração: 113min.

www.lone-star.net.literature\beowulf

Curso de Literatura Inglesa – Jorge Luis Borges.

______________________________________

Publicado em 6 comentários

Uivos Filosóficos 1 – William Shakespeare: A Psicologia de Rei Lear

rei lear e cordelia

William Shakespeare: A Psicologia de Rei Lear.

Este artigo deveria começar com William Shakespeare, mas como posso expressar em palavras o homem Shakespeare, descrevê-lo é como estudar ou compreender o vasto Universo, entendê-lo é aproximar-se do mais alto grau de humanidade, descobri-lo como homem é encontrar o amor na vida em toda sua longevidade, é como um ser humano descobrir todos os segredos de uma rosa quando desabrocha, e isso torna uma pessoa mais preponderante.

O sábio bardo explica o sofrimento humano numa catarse, ou seja, a emoção, assim como uma imitação completa de certa extensão.

No livro “A Arte Poética”, Aristóteles cita que o mais importante numa tragédia é a organização dos fatos não a imitação dos homens e sim a tragédia, as ações da vida, a maneira de agir e não a maneira de ver.

Continuar lendo Uivos Filosóficos 1 — William Shakespeare: A Psicologia de Rei Lear

Publicado em 32 comentários

Forma de vida desconhecida encontrada na Carolina do Norte

 

É mesmo?

Olha só que interessante esse vídeo.

Dizem que foi feito nos esgotos da Carolina do Norte, por um robô que é utilizado para checar as estruturas .
É um conjunto de criaturas muito bizarras, anexadas nas paredes do esgoto.

Se você tem medo ou algum problema com coisas estranhas NÃO VEJA ESSE VÍDEO.

Forma de vida desconhecida

Alguns dizem que se tratam de vermes, de um tipo específico de minhocas, ou que seja alienígena, mas é óbvio que, seja lá o que for, ele tem reações estranhas quando entra em contato com a luz. Imagina o tipo de coisas que estão por aí e nós não fazemos a mínima ideia!

Pode ser fake é claro, mas se for, é realmente muito bem feito.

E você o que acha?

Fonte:

Tejiendo el mundo

 

Publicado em 43 comentários

Exorcismo Real de Anneliese Michel

Anneliese Michel, nascida em 21 de setembro de 1952 em uma pequena cidade da Baviera.

Filha de Josef e Anna, a mais nova de 4 irmãs, pais humildes de uma família católica.

Todas tiveram criação religiosa e uma vida aparentemente normal, até que, em 1968, o quadro começou a mudar.

Sem aviso algo mudou em sua vida em um dia não especificado desse ano, quando ela começou a tremer e percebeu que não tinha mais controle sobre seu próprio corpo; ela rezava quando teve esse ataque. Não foi possível localizar seus pais e nem suas irmãs, depois do tratamento emergencial, um neurologista da Clínica Psiquiátrica Wurzburg, na Alemanha, a diagnosticou com o “grande mal” da epilepsia.

Devido à forte apreensão e depressão que se seguiu, Anneliese foi internada para tratamento no hospital, onde foram indicados medicamentos para epilepsia e ela ficou em observação.
Ela, entretanto, começou a relatar visões durante os ataques (seus músculos se tornavam rígidos, seu tórax inchava e ela se contorcia com força desproporcional ao seu tamanho). Visões essas de criaturas demoníacas que davam ordens à ela e diziam que ela “ferveria no inferno” caso não fosse obediente, assim ela se voltava cada vez mais para as suas orações.

Gostaria de dizer aqui que ela citou essas alucinações visuais e auditivas apenas uma vez aos médicos, e foi tratada com desdém, mas com a impossibilidade deles a ajudarem (seu quadro visivelmente piorava) a família também se voltou à religião, procurando algum padre ou pastor (se tivesse uma dessas igrejas evangélicas de garagem ela teria sido curada quase que automaticamente, desde que a família pagasse os 10% , claro).

A igreja, no entanto, negou quando, 1973, uma mãe desesperada pedia ajuda ao padre de sua paróquia. Ele alegou que, para que fosse feito o exorcismo, era necessário que se provasse a possessão e alguns dos requisitos são aversão a objetos religiosos, falar em línguas que a pessoa nunca aprendeu e poderes sobrenaturais.

Estamos agora em 1974, quando o Pastor Ernst Alt que visitou a casa da família pediu permissão ao Bispo de Wurzburg para fazer o exorcismo; permissão que foi negada por um superior almofadinha que nem se dignou a visitar a moça e que ainda por cima recomendou que a garota deveria ter uma vida religiosa para encontrar a paz (mal sabe ele que a possível possessão tenha possivelmente ocorrido devido à formação religiosa dela. Acredito que, se ela fosse budista, esse tipo de entidade não “tomaria conta” dela).

Fotos de uma das sessões de exorcismo
Fotos de uma das sessões de exorcismo

Ela continuou piorando… não se alimentava mais da comida da mãe, dizia que os demônios não permitiam,  dormia no chão, quebrava todos os símbolos religiosos que apareciam na sua frente, insultava, mordia e agredia todos que se aproximavam, comia aranhas, moscas e carvão, bebia a própria urina… estava em uma situação realmente degradante. Mas piorou. Começou a se mutilar e seus gritos eram ouvidos durante horas.

Em setembro de 1975, o Bispo de Wurzburg, Josef Stangl, finalmente verificou a gravidade da situação e ordenou ao Padre Arnold Renz e ao Pastor Ernst Alt a praticar um “grande exorcismo” em Anneliese.

A base para este ritual foi o “Ritual Romanum” criado no século XVII e que era ainda válido legalmente. Verificaram em conversa com a possuída que ela devia ser salvada de vários demônios, incluindo Lúcifer, Judas Iscariote, Nero, Caim, Hitler e Fleischmann, um padre excomungado do século  XVI e algumas outras almas atormentadas que se manifestavam através dela. Entre setembro de 1975 e julho de 1976 ele executou umas duas sessões de exorcismo por semana.

Os ataques eram por vezes tão fortes que a franzina garota precisava ser sustentado por três homens e tiveram de amarrá-la diversas vezes.  Durante este tempo, Anneliese, de volta à vida, de certa forma, normal, voltou pra faculdade de Pedagogia que cursava na  Academia de Wurzburg e ia à igreja.

Os ataques, porém, não param. Na verdade, o seu corpo se paralisava e caia inconsciente logo depois. O exorcismo continuou ao longo de muitos meses, sempre com as mesmas orações e feitiços. Às vezes, presentes no ritual haviam membros da família e alguns visitantes, incluindo um casal que alegou ter “descoberto” Anneliese. Durante várias semanas, Anneliese se recusou a comer e seus joelhos foram arruinados por causa de 600 flexões que fazia obsessivamente durante cada sessão.  Foram feitas mais de 40 gravações durante o caso, a fim de preservar os detalhes.

O último ritual foi em 30 de junho de 1976. No dia seguinte a mãe registrou o falecimento da filha.

Seus pais, o pastor e o padre foram julgados e condenados por negligência, e cumpriram apenas seis meses de reclusão.
Os legistas chegaram a conclusão de que ela morreu de fome e que, se a família a obrigasse a se internar ou ao menos a comer algo, ela sobreviveria.
Suas últimas palavras para a mãe foram “Mamãe estou com medo”.

Hoje ela é vista como uma pessoa santa, seu túmulo é local de peregrinação e muitos a reverenciam por sua força ao lutar contra o demônio, em aguentar toda aquela provação.

Abaixo seguem algumas fotos em uma montagem com o áudio original de uma das sessões, de uma época que falar línguas estranhas em transe era coisa do mal.

Essa história inspirou o filme “O exorcista” e o julgamento dos acusados o filme “O Exorcismo de Emily Rose ” .

Quando esse primeiro foi lançado houve um surto de “possessões”, mais uma prova de que as pessoas sofrem sim influências externas. Vejo sempre exemplos assim… Se uma FDP resolve, por exemplo, abandonar uma criança na lata de lixo, sempre vemos vários casos semelhantes nas semanas seguintes.

Somos só imitadores ou há realmente algo além?

Exorcismo Real de Anneliese Michel

Fontes:

Estarrecente

Tejiendo El mundo

Publicado em 45 comentários

Fantasmas, espíritos e demônios

Olha só, uma compilação de alguns poucos vídeos de fantasmas supostamente  reais. Procurei filtrar o que seria de mais sério nesse tema tão polêmico e em breve lançarei um dossiê onde analizarei esses fenômenos sob a ótica dos  católico e espíritas. Se você tiver alguma história de fantasmas,  comente nesse post que eu entro em contato para trocarmos experiências.

Fantasmas – São aparições de defuntos, pessoas que morreram e estão atormentadas, perdidas em nosso mundo, presas à algo, costumam aparecer, desculpe o trocadilho, de corpo inteiro.

Espíritos – São como fantasmas, mas mais fracos. Normalmente aparecem no formato de “bolinhas de luz” ou fumaça.

Demônios – São criatura antigas, que, sabe-se lá por qual razão, gostam de atormentar os seres humanos com brincadeiras no mínimo de gosto duvidoso. Os pastores os adoram, pois sem eles não haveria aquele show todo que fazem ao desendemoniar alguém. São também os servos de lúcifer, satanás, belzebu e outros diabos.

Os vídeos:
Até onde pude averiguar, esse local era um antigo hospital municipal de Ichihara, no Japão, estava abandonado desde 1975 e uma equipe foi designada para avaliar as condições do prédio.  No porão ficavam internados os pacientes com problemas mentais, inclusive crianças, que passavam pelas piores situações que um ser humano pode passar, sendo sistematicamente violentadas pelos internos e apanhando dos enfermeiros. Acredita-se que essa aparição possa ser de uma dessas almas desgarradas.

Continuar lendo Fantasmas, espíritos e demônios

Publicado em 15 comentários

Extraterrestres

 

Desde criança me pergunto sobre a existência de extraterrestres, vivia com medo de uma invasão alienígena de homens lagartos que nos devorariam; nós, mamíferos fracotes. Eu tinha medo até do E.T. do filme,  achava feio, só fui ver o filme depois de grande (e me emocionei, devo confessar).

Nas minhas andanças pela net, me deparei com alguns vídeos que considero reais, algumas imagens são chocantes, outras emblemáticas, separei alguns vídeos que deixariam qualquer um de queixo caído!

São aparições de criaturas NA TERRA, apenas uma mostra suas naves espaciais.

Bem, como dizem que uma imagem vale mais que mil palavras, um vídeo do YouTube vale mais do que… Ah, sei lá! Vê aí!

Estranha criatura vista na Marginal. Um E.T.? Um demônio?

Um da raça “Grey” capturado e sendo interrogado. Bizarro, tirem as crianças da sala!!

Imagens EXCLUSIVAS de uma batalha interestelar! A ENTERPRISE sendo alvejada pela ESTRELA DA MORTE! Imagens de um cinegrafista amador, que demonstra claramente as intenções bélicas das criaturas.

Agora a aparição de um E.T. em um popular programa de televisão brasileiro, onde, depois de uma semana de expectativa, foi revelado o conteúdo de uma misteriosa caixa, onde uma criatura capturada em uma cidade do interior estava armazenada. Cenas fortes:

E por último,  o que o mestre Dalborga acha dos E.T.s. Ele certamente será um dos líderes da resistência quando a invasão chegar. Note que eu disse QUANDO e não SE.

Aqui o link para uma entrevista feita no podcast do site Monalisa de Pijamas com uma estranha e bizarra criatura, que descreve detalhes da cultura de sua raça:

Monacast 40 – ??????????

É isso. Dúvidas, basta comentar! Se eu não for abduzido, eu respondo!