Pai

Pai, por Diogo Scooby

Faz cerca de um mês que recebi uma ligação durante o horário de trabalho. Atendi meio alarmado, já que raramente alguém me liga durante a tarde. Era uma tia minha.

Apreensiva, me comunicou que havia ocorrido um grave acidente com meu pai. Informei-me sobre sua localização, avisei-a da minha, arrumei minhas coisas e fui direto para o Hospital Mário Covas, em Santo André, cidade vizinha.

Ao chegar lá, encontrei alguns familiares e minha mãe, aí fiquei sabendo de mais detalhes.

Ele caiu de um andaime, quase 8 metros de altura (cerca de 3 andares).

Fratura exposta na perna esquerda, alguns diziam na tíbia, outros no fêmur… E não sentia as pernas.

Estava fazendo exames e logo iria pra cirurgia. Mas, para alívio de todos, fora algumas escoriações, ele estava bem, lúcido, fez até piadas. Eu não quis vê-lo antes da operação.

No dia seguinte, visitei-o.

Conversamos, e parecia que ele estava muito bem! Tirando algumas ferragens na perna e o fato de ter que ficar deitado o tempo todo, senti muito alívio por ver que meu pai ainda estava ali, conversando, se alimentando, desperto e vivo. Bem vivo!

Quando voltei do hospital fiquei feliz por não estar voltando de um cemitério.

A perna foi fraturada e operada em 3 locais, e uma vértebra foi danificada na queda.

Nesse período, ele passou mais 4 vezes pelo centro cirúrgico, se recuperando bem de cada longa cirurgia e dos efeitos abaladores da anestesia geral.


Mesmo com algumas pequenas complicações, correu tudo bem. Alguns períodos emocionalmente mais difíceis, como o Natal, o Ano Novo, os aniversários do meu irmão, do meu pai e da minha mãe, com ele ausente pela primeira vez na vida, foram superados com calma…


Ontem o vi, está quase sentado, os braços continuam fortes, as pernas precisam de cuidado e muita fisioterapia, estão livres das ferragens externas que ajudaram na cura, mas que atrapalhavam sua mobilidade.


Agora é hora da recuperação, serão meses de batalha, mas ele aguenta, é forte, resistente, tem um corpo que se cura rápido e bem, e agora está cheio de metal nos ossos, assim como alguns personagens de quadrinhos.


Em breve, ele retorna pra casa, local em que ele faz muita falta, mas é bom saber que voltará! Uma nova etapa começa. E estamos todos preparados.


Agradeço a todos que se preocuparam, os que se manifestaram e os que preferiram ficar observando o caso com mais discrição.

Abraço a todos!

_

Dez bons conselhos de meu pai

Viva - capítulo 2

Dez bons conselhos de meu pai é um livro que você vai encontrar, dependendo da livraria, na seção de Administração financeira e orçamentária ou na de Autoajuda/Mentalismo.

Dependendo da forma como você absorva e ponha em prática os conselhos do livro, os dois podem ser considerados certos.

Confesso que esse não é o tipo de leitura que me atrai (nem administração nem autoajuda rs), mas ganhei esse livro quando trabalhei numa livraria, desde então ele ficou na minha fila de livros e quando chegou a vez dele eu pensei: “Já que ele já está aqui, por que não?”

Gustavo Cerbasi é um autor conhecido no meio da Educação Financeira, faz palestras por todo o Brasil, e o seu livro mais conhecido é o Casais inteligentes enriquecem juntos, que serviu de inspiração para o filme brasileiro Até que a sorte nos separe.

Livro

Neste livro, Cerbasi reuniu dez conselhos que ele pensa terem uma importância fundamental para o seu sucesso profissional e pessoal.

Sim, pessoal também, pois ele deixa bem claro em muitas passagens do livro que não adianta nada você trabalhar loucamente e enriquecer se não tiver tempo para relaxar e aproveitar os frutos do seu trabalho.

[Não é à toa que o subtítulo do livro é: Que me ajudaram muito a prosperar]

Algumas vezes esses conselhos não são bem conselhos, mas sim atitudes que ele via os seus “pais” tomando diante de algumas situações da vida.

Digo “pais” porque em sua maioria os conselhos são de seu pai biológico, mas temos também um tio, o avô materno e o técnico do time de natação – pessoas que, segundo o autor, exerceram em alguns momentos de sua vida o exemplo de “pai” para ele.

Como disse antes, não sou muito fã desse tipo de leitura, mas não digo que o livro tenha me desagradado, acho que foi uma experiência válida.

A linguagem que o autor utiliza é a mais clara e simples possível – simples no sentido bom da palavra –, pois a proposta do livro/autor é atingir e ajudar o máximo de pessoas possíveis, principalmente aquelas que não têm conhecimentos mais profundos da área financeira.

No entanto, Dez bons conselhos de meu pai não é um livro que se apegue às finanças propriamente, mas sim às atitudes e comportamentos para que você desenvolva a disciplina necessária para atingir algum objetivo, seja ele profissional ou estritamente financeiro.

Meus quatro pais

Aqui Gustavo Cerbasi apresenta-nos cada um de seus “pais”.

Conselho pra vida

O “Bom Conselho Número 2″, por exemplo, aprendido com o pai dele, Tommaso Cerbasi: “Viva. Não permita que o trabalho tome conta de sua vida”.

Nesse capítulo o autor fala de uma atitude que aprendeu a tomar em vida fazendo justamente o contrário do que o pai fazia. Conta que seu pai era um workaholic daquele tipo que acaba descontando um pouco do estresse do trabalho na família ou que diz coisas como “Quando me aposentar, terei tempo para descansar e aproveitar.”, mas que tomou um susto quando, em certa altura da vida, sua saúde ficou fragilizada e teve que fazer um transplante renal.

Aí, ele diminuiu o ritmo e começou realmente a aproveitar os “pequenos prazeres da vida”.

Depois de relatar algumas situações e consequências que esse comportamento do pai teve nele como filho, o autor divide o capítulo em “O conselho que meu pai daria a você“, onde descreve o “conselho” que veio dessa situação para a prática na vida como “Não deixe para viver no futuro” esperando por uma aposentadoria que talvez não venha, ou seja, viva, aproveite a vida.

Todos os capítulos/conselhos seguem essa estrutura, por isso, muitas vezes me parece muito mais um relato autobiográfico do que “autoajuda” mesmo, pois ele conta situações vividas por ele, por seus “pais” ou por ambos e diz como esse exemplo de vida tornou-se em conselho que tornou-se uma prática em sua vida.

Se você ficou curioso pra conhecer mais do autor ou dos seus conselhos, um dos caminhos é ler um de seus livros, o outro é entrar no site dele: Mais dinheiro.

[Como vocês podem ver, o nome do site é bem sugestivo rs]

Ah, e se quiserem trocar experiências de leitura comigo, podem me adicionar lá no Skoob. 🙂

 

______________________________________

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...