Como lançar uma revista em 7 passos

7 passos para uma publicação

Os bastidores de uma publicação (7 passos)

Para criar esse mini tutorial de 7 passos utilizei o que já sabia. Edito podcasts já há alguns anos e as experiências que tive com o Cadeia de Eventos me ajudaram a formar um conceito de estilo temático para cada edição. Cada episódio fala de apenas um assunto, dessa maneira eu poderia aprofundar e colocar pontos de vista diferentes.

Pensei muito durante a vida, já participei timidamente da criação de fanzines que nunca foram lançados, e a ideia de ter uma revista estava em mim. Aí achei o tempo, as ferramentas e em poucos dias tinha formatado tudo, faltando apenas coletar material.

Passos que considerei :

 1. Ideia

Queria uma revista temática, como um podcast, pensei em qual assunto poderia tratar na primeira edição enquanto olhava pela janela do ônibus. Estava bem na minha frente: A CIDADE. Feia, cinza, bonita e colorida, apaixonante, angustiante, viva…

As ideias estão aí, pensamos em coisas que queremos e podemos fazer o tempo todo, mas dessa vez não ficou apenas no pensamento, ela se tornou real, porque eu permiti que ela crescesse.

2. Conteúdo

Agora comecei a pesquisar algumas revistas para poder saber o que eu colocaria nela. Olhando publicações diversas, comecei a estudar o design, a forma. Vi padrões de temas (entrevistas, dicas, propagandas) e comecei a desenhar, num papel de rascunho mesmo, que tipo de conteúdo e colunas eu queria. Optei por poesia, contos e uma grande entrevista sobre o tema.

3. Colaboradores

Escolhido o que conteria a revista, precisava de alguém que produzisse o material. Pensei em escrever, mas percebi que tenho pessoas muito talentosas à minha volta, e convidei alguns amigos. Confesso que o fato de não poder remunerar ainda nenhum deles me preocupou, mas mesmo assim consegui um ótimo material. Mas, caso não conseguisse esses brilhantes colaboradores, a vontade era tanta que eu publicaria sim uma revista só com textos meus, mesmo achando que o conteúdo ficaria uma porcaria.

4. Edição

Agora ao trabalho!

Sei que a maioria dos designers utiliza o Illustrator ou até outras ferramentas específicas para editoração de revistas, mas eu quis aproveitar meus conhecimentos no CorelDRAW para esse trabalho. E deu trabalho sim, mas a pesquisa de formato e conteúdo me ajudou a utilizar certos parâmetros. Conversando depois com pessoas especializadas, percebi que utilizei realmente técnicas do mercado. Fiquei feliz por conseguir fazer algo bom, utilizando meu conhecimento prévio e que teve um bom resultado!

Editando a Revista LATIDObr

Editando a Revista LATIDObr

 5. Revisão

Essa é uma etapa muito importante! NÃO SE DEVE REVISAR O PRÓPRIO TRABALHO. Converse com pessoas interessadas em leitura, professores de português, permita que pessoas de confiança leiam seu material antes de publicar. Repito: isso é MUITO importante!

6. Publicação

Optei pelo site ISSUU. O módulo básico dele permite uma publicação em um formato muito interessante. Tem algumas limitações na versão gratuita (por exemplo, só é possível que se façam 25 downloads da edição, mas tudo bem, já que posso subir o arquivo em PDF e disponibilizar o link em outros locais).

7. Divulgação

Redes sociais! Não tem outra maneira. O caminho é esse. Email pode ajudar? Pode, mas ninguém mais lê! Então, Facebook, Twitter, se tiver um blog divulgue o material, conte com os amigos, sozinho ninguém faz porcaria nenhuma funcionar direito.

Abaixo o resultado de nosso trabalho:

Ou faça o download grátis da Revista LATIDObr 01 – A Cidade.

É isso! Espero que esses 7 passos tenham ajudado na sua publicação. Um grande abraço e até a próxima.

 


 

 

Faroeste em quadrinhos em vídeo – Férias do NerdOffice

NerdOffice - O bom, o mau e o nerd - capa

Vocês já devem ter percebido pelo post anterior que eu gosto de faroeste e que qualquer história nesse formato me chama a atenção.

E uma coisa que vocês devem supor é que eu gosto de podcast, muitas vezes ouço, algumas me atrevo a participar, mas confesso que não ouço com frequência o podcast mais famoso do Brasil. Acho mais divertido o videocast, o NerdOffice.

Nestas férias de verão, os caras do Jovem Nerd também resolveram tirar férias do NerdOffice, mas deixaram uns vídeos de “consolação” para a galera que acompanha e que eu, particularmente, adorei!

Como vocês já sabem, eu adoro faroeste, então eu estou gostando bastante de acompanhar a história d’O bom, o mau e o nerd! rs

Eles obviamente tiraram inspiração do filme Três homens em conflito – o título original é Il Buono, il brutto, il cattivo e a versão em inglês é The good, the bad and the ugly.

Para quem tiver curiosidade, o filme está disponível no YouTube:

E aproveitem bem as férias, antes que elas acabem!

 

 _________________________________

Street Fighter na vida real (fase bônus)

Street Fighter na vida real (fase bônus)

Vai encarar?

Que tal arrebentar um carro com as próprias mãos? Esse era o sonho de qualquer um que jogava Street Fighter II quando moleque.

Aí alguém decidiu fazer isso na vida real. Aí está o vídeo:

Eu sempre gostei desses bônus! Era um intervalo legal entre as batalhas.

No Final Fight era legal ver aquele otário chorando no final da fase ao ver seu carro destruído, por exemplo.

Tinha aquela fase bônus do Barril também que eu odiava! Vários jogos que eram cópia do SFII utilizaram esse sistema de fase bônus onde após 3 ou 4 lutas tínhamos o prazer de utilizar nossas habilidade para destruir coisas. Pena que abandonaram esse sistema por muitos anos e hoje são raros os jogos que contam com esse tipo de interação.

Eu curtia a do Samurai Shodown 1:

E você, lembra de alguma fase bônus em jogos de luta que te marcou?

Abraço!

Metal Contra as Nuvens, Ocarina Of Time

Metal Contra as Nuvens, Ocarina Of Time

Encontrei esse vídeo por acaso no YouTube, é um fã trailer que une uma canção da Legião Urbana com imagens de um game da Big N.

Apenas quem conviveu comigo durante alguma época pode conceber o quanto a conexão entre essa música e esse game faz sentido para mim.

Metal contra as Nuvens – Zelda Ocarina Of Time

Metal Contra As Nuvens

Legião Urbana

Composição: Dado Villa-Lobos/ Renato Russo/ Marcelo Bonfá

I

Não sou escravo de ninguém
Ninguém, senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E, por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz.

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Reconheço meu pesar
Quando tudo é traição,
O que venho encontrar
É a virtude em outras mãos.

Minha terra é a terra que é minha
E sempre será
Minha terra tem a lua, tem estrelas
E sempre terá.

II

Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa.

Quase acreditei, quase acreditei

E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo.

Olha o sopro do dragão…

III

É a verdade o que assombra
O descaso que condena,
A estupidez, o que destrói

Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais
Tenho os sentidos já dormentes,
O corpo quer, a alma entende.

Esta é a terra-de-ninguém
Sei que devo resistir
Eu quero a espada em minhas mãos.

Eu sou metal, raio, relâmpago e trovão
Eu sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Eu sou metal, me sabe o sopro do dragão.

Não me entrego sem lutar
Tenho, ainda, coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então.

IV

– Tudo passa, tudo passará…

E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.

E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.
O mundo começa agora
Apenas começamos.

—–

Esse post é dedicado a uma amiga muito querida de uma outra vida.

Abraço

—–

Corrida no labirinto – Jogo

Corrida no labirinto - Jogo

Esse jogo, embora graficamente simples, nos possibilita treinar a velocidade de raciocínio, orientação espacial e a lógica.

O objetivo é chegar antes do inimigo (que é o vermelho, como sempre) até a bandeira.

É bom sempre dar uma olhada no caminho antes de ir se enfiando e depois ter que voltar e refazer tudo.

O controle é bem simples, basta utilizar as setas do teclado.

Quanto mais distante ele estiver, maior é sua pontuação.

Você pode também colocar seu nome no ranking mundial após cada partida.

Me diverti um bocado!

Continue Reading…

Linhas Cruzadas

Linhas Cruzadas - imagem: linhas relógio

É quase como desatar nós. Você precisa separar os números de maneira que nenhuma linha se cruze com outra.

linhas

Pode parecer meio estranho no começo, mas o jogo é bem intuitivo e logo pegamos a prática.

O duro é parar de jogar!

Um jogo estilo Puzzle muito interessante! Atenção ao tempo, pois se ele estourar você perde!

São 10 níveis. Eu terminei!

Continue Reading…

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...