Podcast Apokalipson 06 – É o fim do mundo todo dia da semana

Nesta edição, Diogo Scooby (@diogocscooby), Bárbara Coelho (@barbaracoe), a arqueóloga e pesquisadora Kelly Brandão e diretamente da Itália Manu, se reunem para falar sobre os possíveis fins de mundo. Invasões alienígenas, religiões, vulcões, meteoros, máquinas ou o próprio ser humano, quem pode nos levar ao fim? 

Além disso dicas culturais para passar o tempo durante a pandemia.

Apokalipson é o podcast sobre variedades do blog Cachorro Solitário (www.cachorrosolitario.com.br).

Podcast Apokalipson 05 – “Futuro” Pronto

Nesta edição do podcast Apokalipson, Barbara Coelho se une ao Professor Etson Delegá (Thunder), ao fotógrafo Eduardo Leandro e à correspondente internacional diretamente da Itália Emanuela Barbosa (Manu) para fazer um exercício de futurologia durante a pandemia. A Itália está um pouco em nosso futuro, mas será que é pouco, ou nosso futuro tomará outras cores?
E ainda dicas da semana pra passar bem nesse período nefasto.

Ou

Podcast Apokalipson 04 – Solidão – Antes, agora e depois da quarentena

Esta é mais uma edição do podcast Apokalipson, do blog Cachorro Solitário.
Diogo Scooby (@diogoscooby), Bárbaro Coelho (@barbaracoe) e Eduardo Leandro (@eduleandrosp) recebem as terapeutas Tatiana Jentsch e Ana Carol (@anacarolpsicologa) para falar sobre solidão durante a pandemia.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 1 a cada 10 pessoas no Brasil tem algum distúrbio de ordem mental, e esse número parece ser ainda maior entre os jovens, cerca de 1 a cada 5. Esses dados são de 2019, e é claro que são subdimensionados, já que sabemos que a maioria das pessoas nunca foi e nem será diagnosticada, seja por questões ligadas ao tabu, seja por questões financeiras ou geográficas.

Agora, em tempos de pandemia, as pessoas precisam de ainda mais suporte nessas questões do que no finado “normal”.

Para quem já vivia isolado ou solitário, talvez nada ou pouco mudou, mas muitas pessoas não estão acostumadas a esse isolamento. O que fazer nesse caso? Como lidar?

Comentado no podcast:
https://setorsaude.com.br/os-surpreendentes-efeitos-da-solidao-e-o-impacto-na-saude/ – Pesquisa

https://vimeo.com/watch – Curtas

Grupo WhatsApp Apoio Emocional: 

https://chat.whatsapp.com/CIycm8OZuz1Cv5txsHKyG4

Telefones úteis:

Disque 100 – (denúncia de violência contra a criança e o adolescente)

180 – (denúncia de violência contra a mulher)

188 – CVV 

Contatos:

Ana Carolina – (11) 99443-0842

(Psicoterapeuta)

Instagram – @anacarolpsicologa


Tatiana – (11) 94951-3526

(Terapia cognitivo-comportamental)

tjentsch@gmail.com

Música final: https://freemusicarchive.org/music/Madame_Rrose_Selavy/

All audio tracks including the opening theme are under Creative Commons Licence, for more reference, check the link bellow. https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Podcast Apokalipson 03 – Animais

No podcast Apokalipson de hoje, Bárbara, recebe Scooby e Thunder apresentando as notícias do reino animal mais apokalípticas do momento!

Lobisomens mexicanos e outros transmorfos existem? 

Animais retomando o que é seu?

Super-ratos em Diadema?

Tudo isso e muito mais nessa edição do podcast Apokalipson, do blog Cachorro Solitário.

Notícias:

Lobisomem aterroriza México – https://mysteriousuniverse.org/2020/04/wolfman-accused-of-terrorizing-a-mexican-town-during-lockdown/

Animais dominam o mundo – https://noticias.r7.com/internacional/bichos-ganham-as-ruas-durante-quarentena-humana-03042020

Resgate de animais – https://meusanimais.com.br/resgate-de-animais-durante-a-quarentena/

Dicas:

Quadrinhos online grátis – http://www.wendygamestudio.com.br/coronaconbr/ 

Ajude o Zoo – https://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/zoologico-de-sao-paulo-lanca-campanha-amigos-do-zoo/

Podcast Apokalipson 01 – De Rondônia até Roma

Nesta edição, Diogo Scooby (@diogoscooby) recebe o fotógrafo Eduardo Leandro (@eduleandrosp), a personal trainer Bárbara Coelho (@barbaracoe), a arqueóloga e pesquisadora Kelly Brandão e a profissional da área de turismo, diretamente de Roma, Manu (@ma.nu_b) para falar sobre a situação atual durante a pandemia e dicas para passar bem durante esse tempo de crise.

Arte da capa: @etsondelega

Apokalipson é o podcast sobre variedades do blog Cachorro Solitário.

Quebrado

Lobo triste

Parece que tem algo quebrado em minha mente

Não consigo respirar.

O suor frio corre pelas minhas costas, dá pra sentir meu coração acelerado, há uma carga elétrica em volta de mim, sei disso pois, quando fui pegar um copo de plástico para beber água, ele foi atraído quando aproximei minha mão trêmula.

Não consigo respirar.

Tento me concentrar em algo, ler costuma me acalmar – tentar desenhar algo ou assistir uma aula seria bom, mas essa tentativa exige muito esforço, a mente quer gritar, quer que eu chore, parte de mim está com muito medo de morrer, parte de mim quer morrer e acabar logo com isso.

Não consigo respirar.

Esse estado de luta constante é cansativo, e tem uma tristeza que cresce, uma espécie de solidão, de não ter com quem falar, olhar ao redor e ver dezenas de pessoas que não me veem, como se eu não existisse, a importância de meu ser é diluída pelas ruas por onde passo.

Não consigo respirar.

Racionalmente eu posso saber que tenho amigos, esposa, familiares que me querem bem, mas eu não me sinto à vontade comigo mesmo, me acho uma farsa, uma caricatura bizarra de quem eu poderia ser.

“Aquele menino foi internado numa clínica
Dizem que por falta de atenção dos amigos, das lembranças
Dos sonhos que se configuram tristes e inertes
Como uma ampulheta imóvel, não se mexe, não se move, não trabalha”

Clarisse – Legião Urbana

Não consigo respirar.

Quando durmo meu corpo não quer respirar, aí eu acordo em seguida e esse loop se repete, mesmo eu não estando fisicamente doente, acordo às 3 da madrugada e não durmo mais, e no dia seguinte me arrasto pela vida como um zumbi sem alma, tentando apenas atravessar as horas.

A terapia ajuda, longas horas de conversa tentando desvendar e talvez arrumar partes da minha mente quebrada. Não tive grandes traumas, não aconteceu nada demais nesse dia comum, mas é claro que tem algo errado, e vou continuar lutando contra essa parte de mim que me faz querer ser menos.

Essas crises de ansiedade podem ser bem fortes algumas vezes, eu recorro a podcasts ou textos sobre meditação, andei consumindo muito conteúdo budista, de auto-hipnose e mindfulness que tem me ajudado a entender essa fera que me devora por dentro fazendo o simples fato de respirar algo muito complicado de se lidar.

Com calma, com a mente limpa e contando, com foco no meu corpo e no que está ao meu redor eu finalmente consegui respirar.

Obsolescência Programada

Overconsumption by Christopher Dombres (Public Domain)

Então chegou o grande dia! Juntamos um dinheirinho, deixando de ir ao cinema durante alguns meses, limitando as alimentações ao extremamente necessário, cancelamos a viagem que seria no feriado prolongado e, assim, conseguimos o milagre de comprar uma belíssima Smart TV 4K de 50 polegadas. O vendedor queria empurrar a garantia estendida, mas não vimos necessidade disso. Chamamos um aplicativo de carona e fomos pra casa.

Imagem linda, plano novo em 4K da Netflix, planos pra comprar um novo videogame, tudo perfeito.

Passados dois anos e um mês, pouco após a garantia de fábrica vencer, ela começa a apresentar problemas. Demora pra ligar; quando liga, aparece apenas o som. Vamos procurar a assistência, um transtorno.

Se já aconteceu algo assim com você, saiba que não é azar ou acaso, é o que as empresas chamam de Obsolescência Programada.

A Obsolescência Programada

Algumas empresas deliberadamente colocam validade em seus produtos: um período de uso que, ao chegar ao fim, torna aquele equipamento obsoleto.

Acontece o tempo todo com nossos celulares, impressoras e, atualmente, até mesmo com carros: quase tudo é fabricado pra durar um número pré-determinado de anos – passado esse tempo, temos que investir novamente.

Alguns empresários alegam que isso ocorre para que a indústria continue sempre produzindo e gerando empregos; quando sabemos que eles visam apenas o lucro e o enriquecimento, não importa a que custo, não importa se a maioria da população vive no limite ou abaixo dele tendo que gastar dinheiro com coisas que não seriam necessárias se as empresas fossem mais honestas.

No documentário abaixo, temos um belo exemplo histórico de como isso começou e de como hoje poderíamos ter lâmpadas que durariam nossa vida inteira.

Obsolescência Programada – A Conspiração da Lâmpada (The Light Bulb Conspiracy) 

Temos ainda muito o que crescer como sociedade: enquanto alguns visam apenas lucro e concentrar mais e mais as riquezas do mundo, temos pobreza e fome onde poderíamos ter igualdade – sem falar do impacto ambiental por gerarmos muito mais lixo eletrônico e tóxico do que o necessário.

Aqui eu apenas arranhei a superfície do assunto, deixo abaixo algumas dicas de como podemos nos proteger de tal prática.

Links úteis:
https://computerworld.com.br/2018/11/01/como-evitar-a-obsolescencia-programada/

https://www.proteste.org.br/seus-direitos/direito-do-consumidor/noticia/obsolescencia-programada

Música que fala sobre o tema:

Segunda-feira de manhã

passaro maracatu

O descontrole é grande. Cada piscada traz uma miríade de imagens caóticas, é um alegre e pitoresco carnaval noturno com sons bizarros de pessoas deformadas e sexo interespécies. Vejo – passeando – coloridas plumas, fantasias de fita que lembram o maracatu. Ao longe, uma guerra de sombras com fundo de cores alaranjadas mostra-se no horizonte, onde soldados escalam montanhas cercados por drones em formação de ataque. Olhos verdes destacam-se no rosto de um soldado que me atinge com uma coronhada, uma briga generalizada, a música e as bombas do outro lado do morro lançam torres de fogo em prédios abandonados.

Eu fico indo e vindo dessa dimensão do caos, cada piscada me manda alguns segundos nesse mundo. Aqui, no escritório de mesas brancas, paredes assépticas e vidros com isolamento acústico, as cortinas-pálpebras me puxam para o caos, onde me arrastam por ruas de lama. Um homem gentil de dentes tortos me passa uma garrafa, tento beber a aguardente, mas ela não tem gosto nem forma física, é apenas uma gosma-fumaça ectoplasmática.

Quando ingiro a gosma que flutua no ar, as idas e vindas entre as realidades se tornam frenéticas e confusas, deixando-me com náuseas, impedindo que eu continue a escrever e a ver mais desse local de opressão/comemoração/caos. E quando volto, estou me afogando em lama, lutando contra soldados e percebendo as criaturas-ave-maracatu que tentam me arrastar.

Falta-me o ar, quase não vejo mais nada, ouço as explosões ao longe, a música se foi, afogo-me com dificuldade de respirar, os movimentos difíceis, percebo que vou deixando de existir nesse mundo e volto ao escritório de paredes brancas, com dificuldade de respirar.

Depois apareço em um gramado, está de dia, sinto a grama, olho o céu com azuis impossíveis, consigo ver um vilarejo medieval na base do morro, sobe fumaça, deve haver comida, levanto e começo a flutuar, vou planando naquela direção.

E o voo me eleva ao Vazio. Uma sensação leve de quase não-ser, é agradável, mas estou ancorado por algo imaginário que me faz voltar ao escritório.

Preciso de um café.

Pássaros maracatu e soldados ao longe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...